EurAfrican Forum

by • • • Comments (0)

Realizou-se no passado dia 10 de Julho, no Centro de Congressos do Estoril, o 1º EurAfrican Forum, organizado pelo Conselho da Diáspora Portuguesa, com o objetivo de criar confiança e construir pontes entre os dois continentes.
O fórum foi presidido pelo ex-primeiro-ministro português, ex-presidente da Comissão Europeia e atual presidente não executivo do banco Goldman Sachs, José Manuel Durão Barroso e realizado sob o Alto Patrocínio do Governo e do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que realizou o discurso de abertura.
O evento que contou com duas dezenas de líderes europeus e africanos do mundo empresarial, político e da sociedade civil pretende contribuir para um futuro “próspero e sustentável” em África e na Europa, aproveitando sinergias e promovendo oportunidades de negócio com benefícios mútuos, valorizando sobretudo as novas gerações.
Estiveram presentes entre os oradores Mariéme Jamme, fundadora de I Am The Code; Sophia Bekele, Fundadora e Directora Executiva da Doc Connect Africa; Kola Karim, Fundador e CEO do Shoreline Group; Bethlehem Tilahun Alemu, Fundadora e CEO da Sole Rebels; Ziad Oueslati, Director Executivo e Parceiro Co-Fundador da AfricInvest; Jasandra Nyker, CEO da BioTherm Energy; Hitesh Anadkat, Chairman do First Merchant Bank; Tonjé Bakang, fundador da Afrostream; Amrote Abdella, Directora Regional da Microsoft 4Afrika Initiative e Manuel Mota, CEO da Mota-Engil África.


Segundo um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros português, a realização deste encontro em Cascais evidenciou e reforçou o papel de Portugal como ponte privilegiada entre a Europa e África. Agregar o melhor dos dois mundos poderia ter sido o lema deste encontro.
Filipe de Bottom, presidente do conselho da Diáspora Portuguesa, declarou à Diplomatic Magazine a sua satisfação pela realização do primeiro EurAfrican Forum e reafirmou as expectativas geradas por um evento desta magnitude para promover as sinergias e criação de negócios, com benefícios mútuos para os dois continentes
Para José Manuel Durao Barroso, o acontecimento deste primeiro Fórum em Portugal tem como forte característica, o facto de proporcionar a que decisores e representantes de países dos dois continentes possam travar, acima de tudo, o contacto humano para concretizar relações bilaterais e geração de negócios comuns. Durão Barroso afirma ainda que a plataforma dos conselheiros da diáspora portuguesa tem o papel de protagonista no desenvolvimento destas relações.
No seu discurso de abertura, Marcelo Rebelo de Sousa começou por salientar a importância deste tipo de iniciativa, que tem como grande objectivo manter um diálogo permanente entre os dois continentes.


Na opinião do Presidente o EurAfrican Fórum representa um esforço vital para Portugal e para a Presidência, pela forma como os portugueses veem o mundo. Portugal é e sempre foi uma plataforma entre as nações.
Marcelo Rebelo de Sousa apelou ainda à urgência do debate de ideias entre a Europa e África que, na sua opinião, não podem ficar alheios ao combate pela supremacia económica mundial.
O Presidente terminou a sua intervenção congratulando-se pelo sucesso deste fórum, desejando que muitos outros se sigam e deixando ainda a sugestão para que se avance também para um fórum da juventude, de modo a envolver no diálogo as futuras gerações.

A Diplomatic Magazine participou no EurAfrican Fórum e falou com Filipe de Bottom e José Manuel Durão Barroso.

Filipe de bottom

Qual é o balanco que faz até agora do fórum?
O simples facto de o Fórum ter acontecido, de termos conseguido convidar os speakers que temos, de terem vindo oito governos africanos ao Fórum, o facto de termos conseguido, por exemplo, que o Ministro das Relações Exteriores de Angola tenha aceitado, pela primeira vez, um convite de uma organização portuguesa para vir a Portugal, principalmente depois destes anos de relações difíceis, o facto de os temas que estão a ser discutidos, da qualidade e do número de pessoas que temos na sala, eu diria que para um primeiro encontro foi um grande sucesso.

Que expectativas tem agora para o futuro?
A minha maior expectativa é que este Fórum leve a que se crie uma rede de contactos, um network entre as pessoas que estão presentes, que leve a ações e projetos concretos.
Já tivemos ocasião, hoje logo de manhã, de ver a assinatura de um projecto entre uma empresa da Nigéria e uma empresa portuguesa e é com prazer que nós vemos que haja algo de concreto a acontecer. Isto só será um sucesso se tiver continuidade na criação de uma rede de contactos entre a Europa e África.

 

Durão Barroso

Qual é a relevância de um Fórum com este perfil para aproximar as nações de ambos os continentes?
É um contributo. Assenta no estabelecimento de redes de contacto entre pessoas influentes em África e na Europa. Não se pretende que isto seja uma solução mágica. Mas é um contributo que, como aqui se viu, não apenas de categorias abstratas mas feito de contactos humanos concretos.

Qual é o papel que os Conselheiros da Diáspora podem assumir para o sucesso das relações económicas entre os países?
Podem fazer já o que estão a fazer. Ainda hoje aqui foram assinados contratos entre empresas africanas e europeias.
Muitos destes nossos conselheiros da Diáspora têm posições importantes nos seus países. E por isso depende das iniciativas que tomarem. Mas o conselho da Diáspora Portuguesa é uma plataforma a partir da qual os próprios conselheiros depois podem desenvolver as suas próprias iniciativas.

 

Pin It

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *